top

create your own banner at mybannermaker.com!

terça-feira, 8 de março de 2011

"Chamada da Meia-Noite"

Revista "PERGUNTE E RESPONDEREMOS"

D. Estevão Bettencourt, osb

Revista nº 426, Ano 1997, p. 519

A corrente "Chamada da Meia-Noite" é de índole protestante desligada de qualquer denominação do protestantismo. Pode ser definida como "fundamentalista," isto é, como intérprete literal do texto bíblico, rejeitando os subsídios verídicos que a ciência contemporânea oferece para mais profunda compreensão do texto sagrado. Conseqüentemente fenômenos extraordinários (como os OVNIs) e os desvios doutrinários (seitas e correntes tidas como heterodoxas) são atribuídos aos anjos maus ou demônios. Esta mentalidade se traduz numa coleção de livros intitulados "Os Fatos sobre..." da autoria de John Ankerberg o John Weldon, que tratam de criação e evolução, OVNIs, Anjos, Espíritos-Guias, Nova Era, Jesus o Messias, Movimento da Fé... livros dos quais as páginas seguintes comentam os tópicos principais.
Existe uma corrente protestante intitulada "Chamada da Meia-Noite", desligada de qualquer outra corrente do protestantismo, que se iden­tifica nos seguintes termos:

"Mas, à meia-noite, ouviu-se um grito: Eis o noivo! Saí ao seu encontro" (Mt 25,6).
A "Obra Missionaria Chamada da Meia-Noite" é uma missão sem fins lucrativos, que crê em toda a Bíblia como infalível e eterna Palavra de Deus (2 Pe 1,21). Sua tarefa é alcançar todo o mundo com a mensagem de salvação em Jesus Cristo e aprofundar os cristãos no conhecimento da Palavra de Deus, preparando-os para a volta do Senhor".
Essa Sociedade publicou sete livros que exprimem o pensamento fundamentalista respectivo: a Bíblia é interpretada ao pé da letra em qual­quer de suas páginas, sem consideração dos gêneros literários que a compõem. A presença do demônio é denunciada em diversos fenômenos da vida contemporânea, de modo que o leitor se pode sentir pressi­onado pelos anjos maus não somente quando se lhe fala de ecologia, discos voadores, evolução das espécies..., mas também quando se faz uma pregação bíblica não condizente com as interpretações fundamentalistas da "Chamada da Meia-Noite".

Nas páginas subseqüentes passaremos em revista os principais tó­picos da coleção "Chamada da Meia-Noite", que tem por autores John Ankerberg e John Weldon. - A respeito de Fundamentalismo, ver PR 421/1997, pp. 276-283. O presente artigo oferece espécimens concre­tos dessa corrente.

1. Os Discos Voadores

1. Para os dois autores em pauta, o fenômeno dos discos voadores é inegável. Citam numerosos testemunhos da existência dessa realidade misteriosa. Tais testemunhos permitem classificar os fatos em sete cate­gorias de crescente densidade:

VD (Visões Distantes): observação de luzes estranhas no céu;

CI-I (Contatos Imediatos de 1º Grau): visão de um disco voador (OVNI Objeto Voador Não Identificado) com ou sem tripulantes a 150 m mais ou menos;

CI-II (Contatos Imediatos de 2º Grau): os OVNIs deixam efeitos físi­cos no ambiente (marcas de aterrissagem, galhos quebrados...);

CI-III (Contatos Imediatos de 3º Grau): os OVNIs aparecem com tri­pulantes bem próximos ou mesmo em terra;

CI-IV (Contatos Imediatos de 4º Grau): os tripulantes dos OVNIs pra­ticam supostos seqüestros, levando à força para bordo pessoas com as quais realizam experiências de comunicação ou coisas semelhantes;

CI-V (Contatos Imediatos de 5º Grau):é o caso das pessoas que afirmam estar em contato pessoal com entidades espaciais mediante meios ocultos;

CI-VI (Contatos Imediatos de 6º Grau): ocorrem quando há ferimentos ou mortes resultantes de um encontro pessoal com OVNIs.
2. Após expor esses conceitos correntes, J. Ankerberg e J. Weldon propõem sua tese: afirmam que não se trata de intervenções do além nem de ilusões óticas, mas de autênticos fenômenos provocados pelos demônios. Julgam poder argumentar assim, com a Bíblia nas mãos:

"Várias passagens da Escritura podem dizer alguma coisa a respei­to do fenômeno OVNI. Por exemplo, a Bíblia ensina que nos últimos tem­pos Satanás virá sobre o mundo com "todo poder e sinais e prodígios da mentira" e que Deus permitirá grandes sinais do céu (2Ts 2;9s; Lc 21,11). Um fenômeno como OVNIs satânicos pode ser então esperado à medida que a nossa era chega ao fim. Efésios 2,2 se refere a Satanás quando fala do "príncipe da potestade do ar" (p. 71).

3. E por que os demônios produzem tal fenômeno?

A resposta se acha às p. 58s do livro:

"Milhares de indivíduos estão desejosos de entrar em contato com uma civilização vastamente superior do espaço, na esperança de que ela possa resolver os problemas do mundo e terminar a guerra, a pobreza e tudo o mais de que ninguém gosta Inclusive, alguns de nossos políticos e estadistas têm esse anseio. Assim não é surpresa que os demônios, cujo principal objetivo é o engano espiritual (afastar as pessoas de Deus), se aproveitem dessa esperança e busquem pervertê-la. Considere o seguinte:

Uma das principais influências culturais dos OVNIs é destruir a fé na Bíblia, Os fenômenos OVNI defendem o mito da evolução naturalista... e a idéia de que o homem pode se aperfeiçoar finalmente a si mesmo, separado de Deus. Para muitos, a crença nos OVNIs substitui a fé pes­soal em Deus, uma vez que as entidades OVNI os encorajam a olhar para os céus (ou para os alienígenas) a fim do obter sua salvação individual e coletiva. Os encontros com OVNIs também promovem o ocultismo e expandem o seu território sob um disfarce novo e inesperado.
Para outros ainda, o fenômeno OVNI torna a Bíblia anacrônica e destrói a sua autoridade, relegando-a a um nível de literatura terrena bastante primitiva. Os fenômenos OVNI tendem a depreciar o lugar da humanidade no Universo, de sua altura bíblica para algo muito inferior. O homem não é mais a coroa da criação de Deus e aquele por quem Cristo morreu. Em vez disso, é uma espécie de criatura infinitamente inferior - uma espécie inferior entre provavelmente bilhões de espécies mais avançadas no Universo.

Muitos terroristas extraterrenos colocam então o homem como um ponto infinitamente pequeno num Universo infinitamente vasto, cuja única e legítima esperança de sobrevivência é entrar em contato com uma forma de vida muito mais evoluída. Mas o resultado final é diminuir o valor do homem, a idéia dele ter sido feito à imagem de Deus, e a importância do fato de que o próprio Deus se tornou homem pela encarnação. "Isso tende também a depreciar o conceito da expiação e redenção cristã de um modo complexo demais para ser discutido aqui".

4. Que diz a fé católica a respeito?

Na verdade, a fé católica julga que a questão dos discos voadores e dos habitantes em outros planetas é estritamente da alçada da ciência. Toca aos pesquisadores investigar a índole dos fenômenos apontados: serão movidos por causas extraterrestres ou não? A fé aceitará qual­quer conclusão comprovada: em qualquer hipótese, os possíveis seres extraterrestres são criaturas do mesmo e único Deus que conhecemos; a visão da fé cristã não sofrerá' alteração. - Quanto à explicação por recurso dos demônios, é totalmente gratuita, para não dizer:... absurda. Os demônios ou anjos maus não têm corpo: não se vê nem como nem por que produziriam os fenômenos OVNIs. As alegações de Ankerberg e Weldon são despropositadas. O reconhecimento de seres extraterrestres não desvia o cristão da verdadeira fé, mas, ao contrário, revela nova faceta da infinita Sabedoria de Deus.

2. Criação ou Evolução

1. No livro "Os fatos sobre Criação e Evolução...", J. Ankerberg e J. Weldon se mostram radicalmente contrários à evolução das espécies.

Argumentam alegando que

a) a teoria evolucionista é materialista; torna o homem "produto de forças impessoais da matéria, do acaso e do tempo" (p. 7);

b) o evolucionismo é "responsável pela visão agnóstica e cética do século vinte... Trata-se de uma teoria que mudou literalmente o mundo" (p. 9);

c) há cientistas que afirmam ser "a criação especial a melhor teoria" (p. 53);

d) a Bíblia ensina a criação direta das espécies: Gn 1, 27.31; Sl 148,5; Mt 19,4s; Rm 5,12-14; 1Cor 15,21s,

Em conclusão, afirmam os autores:

"As teorias que tentam harmonizar criação e evolução entre si, por mais bem intencionadas que sejam, estão prestando um desserviço. Por exemplo, se a evolução for verdadeira, Moisés estava certamente errado quando escreveu o relato da criação de Gênesis. Assim sendo, a fim de acomodar a evolução, as teorias de harmonização geralmente impõem uma interpretação figurada ou não-literal sobre Gênesis 1-2. No entanto, mais do que uma dúzia de outros livros bíblicos também interpreta Gênesis de forma literal. Eles são igualmente implicados em erro por interpretar falsamente o livro Gênesis" (p. 69).

Os autores do livro em foco censuram especialmente Darwin e o darwinismo como errôneos: seriam destruidores da fé,... não somente da fé em Deus Criador, mas também da fé em Jesus Cristo Redentor, pois esvaziam os conceitos de Adão e Eva e pecado original; ver pp. 58s. Os regimes nas teorias do evolucionismo das espécies.

2. Que diz a fé católica a propósito?

A propósito notamos que os dois autores se equivocam quando identificam evolucionismo e materialismo. Na verdade, o evolucionismo é conciliável com a visão religiosa (não materialista) da origem das espécies. Com efeito; deve-se dizer que a matéria primitiva não é eterna, mas teve origem, e origem por um ato criador do Senhor Deus; Este lhe terá dado as leis da sua evolução, de modo que esta seguiu seu curso regido pela Sabedoria divina; a evolução não é meramente mecânica e cega (como propunha Darwin), mas finalista ou teleológica (dirigida para determinado fim previsto pelo Criador). Quando a matéria atingiu o grau de organização e perfeição necessárias para que haja vida humana, Deus terá criado a alma humana espiritual a ser infundida no corpo do primata, dando origem ao primeiro homem. Assim se combinam entre si criação e evolução. O fato da evolução parece evidente, mas não depõe em absoluto contra a existência e a providência de Deus Criador.

3. Os Espíritos-Guias

John Ankerberg e John Weldon abordam também "Os fatos sobre os Espíritos-Guias. Como evitar a Sedução do Mundo dos Espíritos e dos Poderes Demoníacos". Manifestam aí também a mentalidade fundamentalista.

1. Começam por aludir à canalização, técnica que vem assim explicada:

"Canalização é um termo da Nova Era para exprimir a possessão demoníaca. Ela ocorre quando seres humanos entregam voluntariamente suas mentes e corpos aos seres espirituais. Esses espíritos entram e controlam as pessoas, usando-as para transmitir ensinamentos espirituais ou outras informações. Quando os espíritos falam pela boca das pessoas, isso é chamado canalização" (p. 11).

3. O canalizador seria um médium poderoso, capaz de captar mensagens muito especiais. Eis o que nos dizem os dois autores:

"O aval dado à canalização por famosos astros de cinema e televisão está tornando essa prática socialmente aceitável". Exemplos de astros que têm esse tipo de influência são Shirley Mac Laine, Linda Evans (do seriado Dinastia), Michel York (do filme Romeu e Julieta) e outros.

A atriz Sharon Gless, que faz o papel de Cagney no seriado de TV Cagney e Lacey, ganhou o prêmio Emmy em 1987 pelo seu desempenho na série. Em seu discurso de agradecimento, ela disse a dezenas de milhares de pessoas que seu sucesso era devido a Lazaris, uma entidade espiritual que fala através do médium Jach Pursel.

A popularidade da canalização pode ser também vista através de novos centros de retiro de workshops em todo o país. Nesses lugares, as pessoas aprendem a abrir suas mentes e corpos aos espíritos, a fim de também se tornarem canalizadoras. Nos centros de retiro de workshops são ministradas aulas ao vivo pelos próprios espíritos, motivando os alunos a iniciarem grupos de estudo, centros de pesquisas e revistas dedicadas unicamente ao estudo ou desenvolvimento da canalização" (pp. 12s).

3. Os espíritos se manifestam através dos canalizadores, tomam nomes diversos: dizem ser espíritos de pessoas falecidas ou seres extraterrestres (marcianos ou venusianos), deuses de culturas antigas ou modernas, Jesus cristo, anjos... ou ainda apresentam-se como o Inconsciente Coletivo, o Inconsciente Criativo, o Eu Superior, a alma Transcendente, a Mente Universal ou também o Espírito Santo. Dizem ser tais para desviar os homens e mulheres da verdade. Na realidade, não são senão demônios:

"Certos conceitos da psicologia moderna estão se tornando um importante instrumento para camuflar as coisas demoníacas e expandir a sua influência na sociedade sob outro nome. Prova disso é que virtualmente todo poder oculto ou manifestação espírita tem sido explicado psicológica ou parapsicologicamente, ou endossado humanisticamente como os novos poderes da mente. Uma vez que a psicologia redefine esses espíritos como o potencial oculto da mente humana, o alvo da terapia passa a ser o de obter sucesso em fazer uso desses novos poderes. Essa abordagem concorda com os propósitos estabelecidos por muitos dos espíritos que dizem que o seu alvo é capacitar as pessoas a entrarem em contato com a sua própria intuição, seu Eu superior, sua subpersonalidade criativa ou seu potencial divino, a fim de que no futuro todos se tornem um canal para algo. Em essência, os espíritos querem que o homem considere a atividade deles como nada mais que as operações normais da mente humana. O que eles desejam é invisibilidade" (p. 33).

"A primeira incidência histórica da canalização foi registrada na Bíblia em Gênesis capítulo 3. Lá no jardim do Éden, o diabo usou a serpente como um canal para enganar Eva (Gn 3,1-5; 2Cor 11,3; Ap 12,9). Através da canalização, o diabo levou o homem a duvidar de Deus, com graves conseqüências. Significativamente, há razões importantes para crer que a realidade básica da canalização sugerida aqui jamais se alterou no que se refere: (1) à origem (o diabo ou demônio); (2) ao seu resultado (ilusão espiritual que destrói a confiança em Deus); (3) às suas consequências (juízo divino; Gn 3,13-19; Dt 18,9-13). A canalização é, pois, condenada pela Bíblia como uma prática maligna diante de Deus. Ela é rejeitada por ser uma forma de espiritismo que envolve contato com demônios e a divulgação dos seus falsos ensinamentos.

A Bíblia ensina igualmente que "nos últimos tempos, alguns apostarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios" (1 Tm 4,1). Os ensinamentos espíritas deturpam a natureza de Deus, mentem sobre Cristo e distorcem o caminho da salvação. Os que confiam nas doutrinas espíritas enfrentam o juízo da morte. Sob a autoridade do próprio Cristo, descobrimos que o inferno é um lugar real (Mt 25,46; Lc 16,19-31). Os demônios que asseguram aos homens que o pecado não é real e o inferno não existe, promovem a ruína eterna dos que confiam neles". (pp. 42s)





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário